Luciana Mizutani

0
802

Atriz, diretora, professora e designer de ação. Mestra e doutoranda em Artes Cênicas pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Atua profissionalmente em teatro desde 2001. Destacam-se os seguintes trabalhos: “Intersecções – Peças Curtas de Harold Pinter”, com direção deMarcelo Lazzaratto; “Catleia – Um ensaio sobre o Amor e o Erotismo”, baseado na obra de Octávio Paz, com direção de Verônica Fabrini; “O Doente Imaginário”, de Molière, com direção de Marcio Tadeu; “Alcateia”, com texto de Dirceu de Carvalho e direção de Verônica Fabrini; “O Despertador”, de Dario Fo, com direção de Dirceu de Carvalho; “Big Big Bang Boom”, com texto e direção de Carlos Palma; e “Animaflex”, com dramaturgia de Érico Gomes e direção de Carlos Palma. Nesses dois últimos citados, a atriz também assinou a preparação corporal do elenco.

Foi integrante e cofundadora do grupo Teatro do Bardo. Citam-se os espetáculos: “Chulo Miráculo”, inspirado no texto “Mistero Buffo”, de Dario Fo, no qual assina também a direção, e “A Roupa Nova do Imperador”, no qual atua como atriz. Também foi integrante e cofundadora do grupo “Cantando Histórias”, junto ao qual atuava nos espetáculos: “Os Saltimbancos”, com letras de Sérgio Bardotti e músicas de Luis Enríquez Bacalov, com versão em português e músicas adicionais de Chico Buarque e com direção de Dirceu de Carvalho, e “Cantando Histórias para Brincar”, no qual atuava, assinava a direção de palco e as coreografias.

Leciona atualmente no Espaço Cultural Fábrica das Artes, onde desenvolve a iniciação e formação de jovens no teatro, fazendo parte do corpo docente desde 2012. Dirigiu os espetáculos: “O Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, “Sonho de uma Noite de Verão”, de William Shakespeare, “Tribobó City”, de Maria Clara Machado, “A Última Borboleta” – livre adaptação de filme homônimo, “Um Resumo de Shakespeare” – inspirado na peça “The Complete Works of William Shakespeare (abridged)”, da companhia Reduced de Shakespeare Company, “Sherlock Holmes” – livre adaptação dos contos de Sir. Arthur Conan Doyle, “Kyogen – peças tradicionais cômicas japonesas, “Notáveis” – peça-estudo feminista sobre as realizações de mulheres notáveis, “O Ladrão”, baseado no conto homônimo de Mário de Andrade e “O Círculo de Giz Caucasiano” de Berthold Brecht.

Durante sua formação no Departamento de Artes Cênicas da Unicamp, teve seu aprendizado voltados para a pesquisa do corpo do artista cênico. Seu estudos na formação e preparação de atores continuaram após sua graduação, com a prática de mímica corporal dramática e de artes marciais. A primeira através de aulas com os mímicos formados na escola da L’Ange Fou International Mime School: Nádia Turenko e André Guerreiro Lopes; e através de estudos realizados com o Teatro do Bardo, que resultaram nos espetáculos: “Chulo Miráculo” e “O Despertador” de Dario Fo. Em artes marciais, pratica gong fu Tradicional Shen She Chuen (Punho da Serpente Sagrada) desde 2000. É aluna do professor Ronaldo Schols na “Associação de Kung Fu Tradicional da Família Hu”, em Americana-SP, e foi aluna do mestre representante do sistema no Brasil, o Sifu1 Dani Hu. É vice-campeã paulista 2007 na categoria armas longas, e campeã nas categorias mãos do sul e armas curtas. É vice-campeã brasileira de 2007 nas categorias armas longas e armas curtas e terceiro lugar na categoria mãos do sul.

Na televisão atuou e auxiliou na preparação dos atores na novela Negócio da China” na Rede Globo onde interpretava a personagem Suyan, professora de uma academia de Kung Fu do sistema Shen She Chuen. Neste trabalho foi aluna do Sifu Dani Hu que era preparador e assinou o designde ação da novela. Dani Hu é formado em Artes Cênicas na China Drama Academy – Opera Research Schooltrabalhou em companhias de ópera chinesa, equipes de dublê na Ásia e é designer de ação na Rede Globo desde 2004.

Como resultado desses estudos, tem se dedicado às funções de designer de ação e de preparadora corporal de atores com especialidade em lutas cênicas. Ministrou cursos relacionados a essas temáticas na Oficina Cultural Regional “Sérgio Buarque de Holanda”, em São Carlos-SP, no EventoSanta Bárbara em Cena, no Teatro Municipal de Santa Bárbara D’Oeste Manoel Lira, na Oficina Cultural Regional “Lélia Abramo”, em Araraquara-SP, e na Oficina Cultural Regional “Carlos Gomes” em Limeira-SP.

Artisticamente podem ser mencionados com maior relevância os trabalhos de designer de ação em teatro: “Titus Fúria”, baseado nos textos de William Shakespeare e Heiner Müller, com direção de Veronica Fabrini; e “O Dragão de Fogo” como atriz, preparadora corporal de gong fu e designer de ação, com texto de Cássio Pires e direção de Marcelo Lazzaratto.

Anúncio