Cia Talagadá apresenta novo espetáculo no Fábrica

0
145

A Cia Talagadá, de Itapira, volta em Americana, agora com o seu mais novo espetáculo: Translúcido, dia 24 de junho às 20h, aqui no Fábrica das Artes, a entrada é gratuita. O espetáculo foi contemplado pelo Prêmio PROAC – Produção e circulação de espetáculos inéditos.

SINOPSE

TRANSlúcido é uma provocação dramática visual que se utiliza da plasticidade de materiais característicos por sua opacidade, transparência ou translucidez na composição de um espetáculo na linguagem do Teatro Visual, cujas investigações acerca da palavra translúcido, bem como suas derivações servem como ponto de partida para abordar de forma lúdica e onírica a realidade de nosso cotidiano, num universo transitório, que está além de nossa lucidez, cuja dramaturgia se constrói de forma única e individual aos olhos de cada espectador.

PROPOSTA DE ENCENAÇÃO

Partindo da compreensão da linguagem do Teatro Visual como um estimulo da subjetividade por meio da visualidade, o espetáculo será o resultado de um processo de experimentações acerca da investigação da visualidade sobre o tema translúcido.
Para tal, serão utilizados na construção do jogo cênico bonecos de manipulação direta, bonecos germinados, máscaras, objetos e também a presença do ator como elemento substancial, estando este, em mesmo nível de importância que os elementos anteriores. A comunicação não verbal e a potencialidade onírica favorece a construção de uma estética influenciada pelo surrealismo, expressionismo, dadaísmo e construtivismo, como vistos em outros trabalhos da companhia num composto hibrido, apropriando-se do teatro, artes visuais, música, ações performativas e até mesmo dança, que nesse processo pode vir a ser um elemento novo a essa identidade que vem sendo construída pela Cia. Talagadá. Apesar da possibilidade de tentar adapta-se a espaços alternativos, o espetáculo será destinado à estrutura de palco italiano, em que a caixa preta, servirá como moldura para a ação cênica, assemelhando-se a uma grande tela em movimento, cujo observador precisa ter uma visão frontal e global da obra apresentada, cujas cenas se manifestam pelo forte apelo visual potencializado pela sonoridade.

DRAMATURGIA

A construção de uma dramaturgia autoral para o espetáculo se dará, ao mesmo tempo, pela busca de estímulos criativos (imagens, sons, formas e movimento) e por experimentações de materialidades relacionados ao tema “Translúcido” que se manifestação em cenas. No entanto, nesse tipo de linguagem, o que se terá é uma dramaturgia de ação e, neste caso, sem nenhum traço de perfil psicológico ou conflitos a serem desenvolvidos. Criam-se elementos (objetos, bonecos, máscaras, sons e etc.) os quais são colocados no espaço cênico, explorando diferentes formas de se relacionarem propondo jogos e tensões entre eles. Uma vez finalizadas essa etapa, serão escolhidas as cenas de maior potencialidade visual e relevância artística, as quais serão ordenadas de modo a proporcionar ao espectador diferentes nuances de sensações e sentimentos, buscando também a inserção de elementos que possam ser comuns entre as cenas contribuindo a sua coesão e organicidade. Deste modo, nesse processo mútuo de investigação serão explorados tanto o próprio significado da palavra translúcido – que se define como qualquer corpo que deixa passar a luz, como também seus desdobramentos: trans – além de, através; lúcido – indivíduo consciente, que não perdeu a razão e que faz bom uso de suas faculdades mentais, como disparadores do ímpeto criativo, articulando tais conceitos em poesias dramático-visuais.

OFICINA

A Cia também oferece oficina gratuita nos dias 22 e 23 de junho, faça a sua inscrição clicando aqui.

SERVIÇO

Translúcido – Teatro
24 de junho de 2018 – Domingo – 20h
Fábrica das Artes

Anúncio